Nintendo 64

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Nintendo 64 (abreviada como apenas, N64) é o terceiro console de video-game doméstico da empresa japonesa Nintendo.

Lançado em 23 de Junho de 1996 no Japão e em 29 de Setembro nos EUA, o Nintendo 64 contava com apenas três títulos de lançamento: Super Mario 64 , Wave Race 64 e PilotWings 64. Já quando foi lançado na Europa, em 1 de Março de 1997, o console contava também com o jogo Star Wars: Shadows of the Empire. Foi o último console doméstico a utilizar cartucho (chamado pela Nintendo de "Game Pack"), distribuídos no Brasil inicialmente pela empresa Playtronic e posteriormente pela Gradiente Eletrônicos. Em Portugal, foi distribuída pela Concentra.

O console foi anunciado em 1993 com o codename "Project Reality". Em 1995 fora primeiro apresentado com o nome Nintendo Ultra 64, tendo o nome reduzido para Nintendo 64 em Fevereiro de 1996 (5 meses antes do lançamento). Seu código de modelo é NUS-001 (cuja sigla significa Nintendo Ultra Sixty Four - o codinome do projeto).

Considerada inovadora na época de seu lançamenta, a consola era dotada de um processador gráfico projectado pela Silicon Graphics, o que possibilitou gráficos de qualidade inédita com profundidade de cor de até 64 bits. A Nintendo 64 também contava com um avançado processador de áudio, o que permitiu a alta qualidade da trilha e efeitos sonoros, também inéditos na história dos consoles.

Toda essa complexidade tinha seu preço: os programadores afirmavam que era um grande desafio manter todos os processadores da máquina trabalhando em sincronia. A Nintendo argumenta que corrigiu o problema em seu novo console, o GameCube.

Mas, apesar de tudo, o console continua conquistando legiões de fãs, nem tanto na console mas no PCs através da emulação. O melhor programa desenvolvido para esta tarefa actualmente é o Project64 que está na versão (não-oficial, foi modificada por fãs-hackers) 1.7.0.54 com suporte ao controle do Wii e emulações praticamente perfeitas, fazendo a alegria dos fãs.

Jogos

O Nintendo 64 foi o último console doméstico a fazer uso de cartuchos de memória ROM, enquanto as concorrentes utilizavam CD-ROM nas suas consoles. As principais vantagens eram a velocidade de acesso, já que as taxas de transferências na leitura de um chip de ROM são muito maiores do que as de um CD-ROM, durabilidade e segurança, pois é relativamente difícil copiar um cartucho sem o equipamento correto.

Não obstante, entre as vantagens técnicas do cartucho sobre outras mídias destaca-se a capacidade de carregar dentro de sí co-processadores, chips de função específicas ou ainda micro-códigos e linguagens de programação personalizados. Isso garantia, alêm de uma maior liberdade de criação para as produtoras de jogos, uma espécie de expansão de hardware "via jogo", característica tal completamente ausente em outros tipos de´mídia.

Entretanto, o custo de produção dos cartuchos era maior do que o dos CD-ROMs e a capacidade de armazenamento era menor, o que praticamente impossibilitava a utilização de arquivos de som e vídeos pré-gravados nos jogos. O jogo Resident Evil 2 foi uma das poucas excepções, pois utilizava uma tecnologia especial de compressão de dados que permitiu que diálogos e vídeos fossem incluídos, embora em menor qualidade em relação às versões para outros consoles que utilizavam CD-ROM.

A decisão de continuar a utilizar cartuchos espantou antigos parceiros, como a Squaresoft (responsável pelos jogos da série Final Fantasy), que garantiu direitos de exclusividade à Sony.

 

Acessórios

Inovações

O Nintendo 64 teve algumas "inovações" que não eram originais. O Atari Jaguar supostamente foi o primeiro console 64-bit (mas tinha diversos processadores que somados davam 64), o Vectrex foi o primeiro com alavanca analógica (Analog Stick) e o Bally Astrocade foi o primeiro com 4 entradas de controle. Mas o 64 foi o primeiro sistema popular com essas inovações.

No Controle

Nos Jogos

Recepção e vendas

No início, o N64 teve boas vendas no Japão, porém não conseguiu manter o ritmo e logo perdeu a segunda posição para o Sega Saturn , que fez um grande sucesso por lá ,as vendas cairam mais ainda quando a SEGA lançou o Dreamcast em 1998 que possuia hadware mais desenvolvido e poderoso,e que mais tarde seria o seu ultimo console. Nos EUA e Europa o N64 assim como o Dreamcast foi bastante bem-sucedido.

A Nintendo garantiu o segundo lugar na guerra de consoles, atrás do PlayStation, tendo os dois consoles 40% (N64) e 51% (PS) do mercado ocidental. Isso foi conseguido graças às séries consagradas da Nintendo (ex.: Mario e Zelda), exclusivas de seus consoles. Apesar da imagem "infantil" da Nintendo, jogadores crescidos se atraíram por títulos como GoldenEye 007, Resident Evil 2, Shadow Man, Doom 64 e Quake II.

Aproximadamente 32 milhões de Nintendo 64 foram vendidos. Não é muito, comparado aos 100 milhões do PlayStation, mas supera as vendas globais do Sega Saturn e mesmo de videogames posteriores como o Xbox e o GameCube.

 

PlayStation

 

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

 

PlayStation é um console de video game fabricado pela empresa Sony, lançado em 3 de dezembro de 1994 no Japão e em 9 de setembro de 1995 nos Estados Unidos. Desde o seu lançamento até 2006 (quando sua produção fora extinta), o PlayStation vendeu mais de 100 milhões de unidades, superado pelo seu sucessor, o PlayStation 2, com 145 milhões de unidades comercializadas.

História

A origem da PlayStation remonta a 1990, quando a Nintendo planejava uma expansão de CD-ROM para o Super Nintendo. A Sony que desenvolveu o chip de som do SNES, foi escolhida para desenvolver a expansão. Após vários desentendimentos entre as duas empresas, a Nintendo decidiu cancelar o projeto e fazer outra parceria com a Philips.

O "Play Station X" já se encontrava em avançado estágio desenvolvimento e seu engenheiro Ken Kutaragi convenceu a Sony a lançá-lo no mercado como um console de videogames independente. No final de 1994 chegava ao mercado japonês o PlayStation e um ano depois era lançado nos Estados Unidos.

Vários jogos contribuiram para o sucesso do console, como Resident Evil, Crash Bandicoot, Tomb Raider, Medal of Honor, Tekken, Gran Turismo, Final Fantasy, Winning Eleven entre outros. O console ainda recebeu massivo apoio da EA e sua linha esportiva EA Sports.

A Sony também introduziu um acessório para o PlayStation que se tornou muito popular: o memory card. O memory card (ou simplesmente cartão de memoria) permitia salvar dados dos jogos e continuar o jogo no mesmo ponto em que parou. Esta tecnologia já existia em alguns jogos de consoles mais antigos, mas dependia de um chip de memória dentro do cartucho. Os memory cards tornaram o processo de salvar padrão e praticamente todos os jogos tinham suporte.

Mesmo com a chegada de concorrentes mais poderosos como Nintendo 64, Sega Saturn e o Sega Dreamcast, o PlayStation era o mais vendido com uma linha de jogos já estabelecida e de grandes sucesso.

Em meados de 2000, o PlayStation passou por uma re-estilização ficando menor com curvas arredondadas. Esse console recebeu o nome de PSone, agora na cor branca. Nesse ano também foi lançado o sucessor PlayStation 2. O PlayStation foi sendo abandonado aos poucos e teve sua produção encerrada em 2006. Cerca de 100 milhões de consoles PlayStation foram vendidos em todo mundo.

Joystick

O joystick do PlayStation tem o design inspirado no SNES. O gamepad acrescentava mais dois botões aos superiores L e R, ficando assim L1/L2 R1/R2.

Em 1996 a Sony lançou um novo joystick que viria a se tornar padrão: o DualShock, que introduzia duas mini-alavancas analógicas além de um sistema de rumble onde o controle treme em resposta aos jogos. Com o controle de movimentos nos analógicos, o direcional digital ficou aberto para exercer mais funções nos jogos.

Sucessores

O console PlayStation deu início a uma linha de sucessores, sob a marca PlayStation. Seu primeiro sucessor, o PlayStation 2 (PS2) foi lançado em 2000 com a promessa de revolucionar o ambiente doméstico, pois possuia a capacidade de tocar filmes em DVD e competir com os modernos jogos de computador 3D. Graças à grande e variada biblioteca de jogos e a capacidade de também rodar jogos do PlayStation, o PS2 vendeu mais de 140 milhões de unidades, tornando-se a videogame console mais vendido da história.

Em 2005 a Sony lança o PlayStation Portable (PSP) é a versão portátil da PlayStation. É voltada para o público adulto, e pode reproduzir filmes, visualizar imagens de câmaras digitais, tocar músicas no formato MP3, além de, é claro, rodar jogos de alta qualidade em qualquer lugar com ajuda de uma bateria recarregável. A qualidade dos jogos (gráficos) está entre a PlayStation e PlayStation 2.

Em 2006 a Sony lançou o PlayStation 3, com recursos avançados do chip Cell e armazenamento em discos Blu-Ray, o novo formato de disco sucessor do DVD. Por conter tecnologias muito avançadas o console foi lançado a um preço caro, foi lançado em duas versões: uma de U$499 (20GB) e outra de U$599 (60GB). Em 2007 o PlayStation 3 de 80GB (U$499) e o de 40GB (U$399) foram lançados, sendo que a versão de 40GB não lê jogos de Playstation 2. Todas as versões lêem jogos de Playstation 1.

Portugal e Brasil

Em Portugal, todos os consoles PlayStation são distribuídos oficialmente pela Sony Computer Entertainment Europe. Há postos de assistência técnica espalhados por todo país, linha direta de apoio consumidor e jogos vendidos (oficialmente) segundo o calendário europeu de lançamentos.

No Brasil, o PlayStation não foi vendido oficialmente porque a Sony não se dispôs a concorrer com a pirataria. Apesar disso, houve um grande "mercado informal" de consoles e jogos conduzido por contrabandistas e pirateadores. Em 2009 a Sony do Brasil finalmente lançou a linha PlayStation 2 no país, vendendo ainda jogos de PlayStation 3.

Sega Saturn

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

O Sega Saturn foi lançado primeiramente pela Sega em 22 de Novembro de 1994 no Japão, em 11 de Maio de 1995 na América do Norte e em 8 de Julho na Europa e Austrália. O console foi descontinuado na Europa e Austrália em 1998, em Abril de 1999 na América do Norte e em 4 de Dezembro de 2000 no Japão.

Tornou-se um console popular no Japão devido à seu marketing de sucesso, com o personagem Segata Sanshiro criado especialmente para o marketing do Sega Saturn, porém ele não conseguiu repetir o sucesso na América do Norte e Europa frente seus concorrentes, Playstation e Nintendo 64.

De acordo com um artigo da revista estadunidense GamePro em Julho de 2007, o Saturn vendeu 9,5 milhões de unidades. No entanto, afirma-se que o console vendeu mais de 17 milhões de unidades a nivel mundial

História

O desenvolvimento do Sega Saturn foi composto de muita especulação, já que não era costume das empresas divulgarem muitas informações concretas durante o desenvolvimento de seus produtos.

Em meados de 1991 apareceram diversas notícias sobre um novo console em desenvolvimento pela Sega chamado GigaDrive, que seria baseado na nova placa System 32 que começava a ser utilizada nos fliperamas da época. Do mesmo modo que o Mega Drive foi originado da placa System 16, fazia sentido acreditar que o GigaDrive estivesse sendo desenvolvido utilizando a System 32 como base. Mas o tempo passou e nunca ocorreu uma confirmação oficial sobre o GigaDrive vindo da Sega.

Em 1993 começaram a aparecer rumores sobre dois projetos separados de 32-bit da Sega: o Jupiter , á base de cartuchos, e o Saturn, á base de CDs. Especificações técnicas mostravam que o console havia sido projetado para ser a plataforma mais poderosa disponível na época para jogos 2D. Ao mesmo tempo a Sony apresentava seu Playstation, um poderoso videogame focado especialmente em jogos 3D, pegando a Sega desprevenida. Gráficos 3D bem elaborados eram privilégios das caras placas usadas em fliperama, se a SONY realmente conseguisse colocar essa tecnologia em um videogame à um preço acessível com certeza seria o fim do Saturn. Tentando resolver essa situação, as especificações técnicas do Saturn foram alteradas com a adição de novos processadores, agora dando maior suporte à polígonos e ao processamento de gráficos 3D. O Sega Saturn agora estava pronto para competir com o Sony Playstation.

O Jupiter se tornou o periférico do Mega Drive chamado Sega 32X, que teve pouco sucesso e jogos desenvolvidos.

O Sega Saturn foi lançado no Japão em 22/11/1994 e inicialmente obteve grande sucesso, chegando a mais de 500.000 unidades vendidas até o Natal do mesmo ano. Nos Estados Unidos o início não foi tão bom. Na feira E3 em maio de 1995 a Sega pegou todos de surpresa quando anunciou que o Saturn começava a ser vendido com 6 meses de antecedência, só que poucas lojas haviam recebido o console e ainda havia o problema da pouca diversidade de jogos disponíveis para o lançamento. Com preço inicial de US$399, a Sega já enfrentava o seu primeiro revés alí mesmo na E3, quando a Sony anunciou que mantinha a data de lançamento do Playstation para o final do ano mas à um preço de US$299.

Mesmo baixando o preço do console e criando promoções a Sega não conseguiu muito sucesso com o Saturn nos Estados Unidos, mas no Japão o Saturn é um dos consoles mais bem-sucedidos da empresa, e se manteve na liderança até o lançamento do jogo Final Fantasy VII para o PlayStation em 1997, mas manteve a segunda posição frente ao concorrente Nintendo 64 durante toda a sua vida.

Em 1999 o Saturn foi descontinuado em favor do Dreamcast.

Hoje em dia se discute quais foram os principais erros cometidos pela Sega durante a era Saturn, dentre quais podemos destacar:

No Brasil

O Saturn fez um sucesso relativo no Brasil. No ínicio foi lançado pela Tec Toy ao preço de R$ 800,00 (numa época em que o salário mínimo era de apenas R$ 74,00), porém teve seu preço bastante reduzido quando chegou a lojas de departamento e super mercados, sendo vendido por R$350,00 em 1998.

A verdade é que uma das coisas que dificultou a popularidade e o estímulo do consumidor, em adquirir um Saturn, foi o sistema anti-pirataria do video game que impedia facilmente o uso de jogos falsificados (que eram bastante baratos), forçando o consumidor a adquirir jogos originais que tinham um preço bastante elevado ou destravar o console, o que também custava caro. Para comparação, o PlayStation, seu maior concorrente, teve um desempenho incrível no Brasil, graças a facilidade de se encontrar jogos falsificados a um preço muito mais acessível para a maior parte da população.

Mesmo assim, a popularidade de jogos como Virtua Fighter, Virtua Cop, Nights e Sega Rally Championship ajudaram muito nas vendas do Saturn no ínicio, sendo que outros jogos como Riven (em versão especial da Tectoy traduzido para o português), Sonic R, lançamentos da SNK (como The King of Fighters 96 e 97 e Samurai Shodown) e da Capcom (Street Fighter Zero 2 e X-Men vs. Street Fighter), além dos hits Virtua Fighter 2 e Virtua Cop 2, garantiram uma sobre vida para o Saturn em relação ao resto do mundo, sendo ainda encontrado em grandes lojas até o fim do ano de 1999.

A quantidade de consoles vendidos pela Tec Toy no Brasil nunca foi divulgada, mas estima-se que a cifra supere a 1,000,000 de consoles produzidos e vendidos. Também há de se notar que muitos consoles no Brasil são de origem americana, importados.

Outra peculiaridade da historia do Saturn no Brasil, foi que, no fim de 1998 e durante o ano de 1999, a Tec Toy parou de produzir o Saturn e passou a importá-lo em lotes direto da fábrica da SEGA no Japão. O máximo que a Tec Toy fazia com esses consoles, era transcodificar o sistema de imagem de NTSC-J para PAL-M, que é o sistema padrão de televisão do Brasil, e apagar a frase "This is cool". Graças a esse fato, o Brasil foi o único país ocidental a receber versões do Saturn na cor branco e do Saturn Skeleton (transparente esverdeado ou trasnparente azulado). Ha de se notar também que diversos jogos que não foram lançados nos Estados Unidos foram lançados no mercado brasileiro pela Tectoy.

Em 2004, a Tectoy revelou os jogos mais vendidos de seus consoles. No Saturn eram:

  1. Scorcher
  2. Virtua Cop 2
  3. Cyber Speedway
  4. Sonic R
  5. Heir of Zendor
  6. Nights into Dreams
  7. Amok
  8. Street Fighter Zero 2
  9. Riven
  10. Daytona USA

Jogos Jaguar

 

Alien vs. Predator (1994)

 

Dragon: The Bruce Lee Story (1994)

 

Bubsy in Fractured Furry Tails (1994)

 

Primal Rage (Jaguar CD -1995)

 

Atari Karts (1995)

 

Batlemorph (Jaguar CD - 1995)

 

Rayman (1995)

 

Doom (1996)

 

Total Carnage (2005)

 

 

Jogos Sega Saturn

Daytona USA (1994)

Virtua Fighter (1994)

Fifa Soccer 96 (1995)

Panzer Dragon (1995)

 

Cyber Speedway (1996)

Nights into Dreams (1996)

Street Fighter Alpha 2 (1996)

Resident Evil (1997)

Marvel Super Heroes (1997)

The House of the Dead (1998)

Final Fight Revenge (2000)

 

 

 

 

Jogos Playstation

Ridge Racer (1994)

Street Fighter: The Movie (1995)

Tekken (1995)

Resident Evil (1996)

Crash Bandicoot (1996)

Gran Turismo (1997)

Tomb Raider II (1997)

 

 

 

 

 

Jogos Nintendo 64

Super Mario 64 (1996)

Mario Kart 64 (1996)

Doom 64 (1997)

Star Fox 64 (1997)

GoldenEye 007 (1997)

The Legend of Zelda: Ocarina of Time (1998)

Mortal Kombat 4 (1998)

Banjo Kazooie (1998)

Duke Nukem: Zero Hour (1999)

Disney's Donald Duck: Goin' Quackers (2000)

Voltar ao topo da página

Vídeos Interessantes

Sega Saturn

 

                                                                                        

 Playstation

                                                                                        

 

 

Nintendo 64

 

 

Angry Videogame Nerd - Sega 32X

Jogos 3DO

crash and burn

Crash n' Burn (1993)

Escape from Monster Manor (1993)

Ultraman Powered (1984)

fifa 3do

Fifa International Soccer (1994)

road rash 3do

Road Rash (1994)

space ace

Space Ace (1995)

gex

Gex (1995)

Atari Jaguar

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

 

Atari Jaguar foi um console de videogame lançado pela Atari em 1993. Ele foi desenvolvido para superar o Mega Drive e o Super Nintendo em poder de processamento. Ele disputou mercado com o 3DO e posteriormente com os consoles de video game de quinta geração. O Jaguar foi lançado inicialmente em algumas cidades selecionadas dos Estados Unidos em Novembro de 1993 e posteriormente no resto do país em 1994. Embora tenha sido promovido como primeiro console de 64 bits, o Jaguar provou ser um fracasso comercial, e levou a Atari a abandonar o mercado de consoles domésticos. Apesar de haver sido um fracasso comercial, o Jaguar possui muitos fãs e estes produziram muitos jogos Homebrew, fazendo do console um clássico.

História

O Jaguar foi o último console lançado pela Atari Corporation. Flare Technology, uma companhia formada por Martin Brennan e John Mathielson, disseram que não poderiam fazer um console superior ao Mega Drive da Sega ou o Super Nintendo, mas fariam um console com preço competitivo. Impressionada pelo seu trabalho na Konix Multisystem, a Atari persuadiu-os a fundir a Flare Technology com a Atari, formando uma nova companhia chamada Flare II. A Flare II inicialmente trabalhou no desenvolvimento de dois consoles. Um deles, com arquiterura de 32 bits (codinome Panther), e o outro um sistema de 64 bits (codinome Jaguar). Posteriormente, com o progresso do sistema Jaguar acima do esperado, a Atari cancelou o Panther, projetando manter o foco no desenvolvimento do Jaguar. O Jaguar foi lançado em novembro de 1993, pelo preço inicial de U$249,99, um acordo de menos de 500 milhões de dólares com a IBM. O sistema inicialmente lançado somente em Nova York e São Francisco Bay. A versão para o resto do país foi lançada posteriormente em 1994.

O Jaguar foi lançado com o slogan "Do The Math", anunciando sua superioridade em relação aos sistemas concorres de 16 e 32 bits. Seu marketing era extremamente agressivo, apontando a superioridade do Jaguar em relação aos sistemas da época, como Mega Drive e 3DO. Inicialmente, o Jaguar vendeu bem, superando inclusive o aclamado e popular 3DO, mas isto durou apenas durante o período de férias de 1993. O Jaguar não pôde sustentar as vendas passando este momento de seu lançamento. As desenvolvedoras de jogos contribuíram para o declínio das vendas: poucos jogos lançados, dificuldade em lançar novos títulos, jogos de pouca qualidade. Contribui ainda a história da Atari com seu Atari 2600, que ficou irremediavemente manchada com seus futuros clientes e desenvolvedores.

O Jaguar mereceu elogios com vários hits, como Tempest 2000, Doom e Wolfenstein 3D.O título de maior sucesso do Jaguar foi sem dúvida Alien vs. Predator. Alien vs. Predator e Tempest 2000 foram frequentemente considerados como títulos definitivos do Jaguar. O restante se reduz a uma pequena biblioteca de jogos para desafiar os video games de 16 bits, que nunca ganharam notoriedade e caíram no esquecimento. Os desenvolvedores também se queixaram do controle do jaguar, que é muito complexo, com 15 botões e pouco prático.

A falta de títulos foi atribuída a dois fatores: os questionáveis longos termos que os desenvolvedores de jogos deveriam assinar ao desenvolver os jogos e a natureza problemática para desenvolver jogos para o Atari Jaguar. A Atari teve uma oportunidade para convencer os desenvolvedores de jogos, vital para a diversidade da biblioteca de jogos do Jaguar, com uma sólida performance de varejo, mas não aproveitou a oportunidade e após as férias que marcaram o lançamento do Jaguar, as baixas vendas questionaram a viabilidade do negócio da Atari. Como as vendas do 3DO (que custava em torno de três vezes o preço do Jaguar) foram bem sucedidas, a Atari falhou em atrair desenvolvedores que já estavam desenvolvendo em outras plataformas. Além do mais, o hardware do Jaguar foi prejudicado por uma falha no controlador de memória da CPU, que impedia a execução de determinados códigos pela memória RAM. Menos grave, mas também importante, defeitos na UART. A falha no controlador poderia ter sido atenuada por um código de desenvolvimento maduro, para desafogar os programadores de ter de detalhar cada pedaço de código. As ferramentas de desenvolvimento para o Jaguar saíram muito mais tarde que os programadores imaginaram, e a documentação era incompleta. Ainda por cima, o código de desenvolvimento oferecido era o tedioso assembler.

No final de 1995, o destino do Jaguar estava selado. As vendas da Atari caíram pela metade, de 38,7 milhões de dólares em 1994 para 14,6 milhões de dólares em 1995. Em uma certa manhã de 1995, a Atari Corp. lançou um anúncio comercial com entusisasmo enaltecendo o poderoso sistema de jogo. O comercial foi exibido a maior parte do ano, mas não exatamente para vender o estoque dos sistemas Jaguar. No arquivo 10-K405 SEC Filing, de 12 de abril de 1996, a Atari informou seus acionistas da verdadeira natureza do negócio:

Desde o lançamento do Jaguar em 1993 até o final de 1995, a Atari vendeu aproximadamente 125 mil unidades do Jaguar. Em 31 de dezembro de 1995, Atari tinha aproximadamente 100 mil unidades do Jaguar em estoque.

Em uma entrevista Sam Tramiel, CEO da Atari Corp. e filho de Jack Tramiel, declarou que o Jaguar era mais poderoso que o Sega Saturn e ligeiramente mais fraco que o Playstation. Ele também disse que o Playstation para entrar no mercado americano, deveria ser vendido a 500 dólares, e se fosse vendido a 300 dólares, seria uma tática ilegal que a Atari iria contestar em tribunal. Quando o Sony Playstation foi lançado no mercado americano seu preço era de 299 dólares. Tramiel concedeu uma entrevista, que foi selecionada como número 3 na GameSpy Top 25: Momentos mais estúpidos dos Games.

A produção do Jaguar foi encerrada depois que a Atari Corp. foi fundida com a JT Storage em um processo judicial. Em um último esforço para ressuscitar o Jaguar, Atari Corporation tentou atacar a concorrência, proclamando o Jaguar como único sistema de 64 bits. Essa afirmação é questionada por alguns pessoas, devido a sua CPU (Motorola 68000) e sua GPU executarem instruções de 32 bits, mas o controle de sinais do gráfico dos co-processadores (acelerador gráfico) ser de 64 bits. A posição da Atari Corp. era que a simples presença de uma arquitetura de 64 bits para gráficos era suficiente para validar a afirmação. As especificações do hardware do Jaguar aludem ao GPU ou DSP sendo capaz de agir como uma CPU, deixando o Motorola 68000 para servir apenas como controlador. Na prática, todavia, alguns desenvolvedores usaram o Motorola 68000 como drive lógico de jogo.

Apesar da curta vida do console, alguns acessórios foram anunciados. Mas, apenas o ProController, o drive Atari Jaguar CD e o JagLink (um dispositivo que permite ligar dois consoles Jaguar em uma rede simples) foram lançados. Um modem e um dispositivo de realidade virtual (com infra-vermelho), existiram em protótipo, mas nunca foram comercializados.

Após as propriedades da Atari Corporation haverem sido adquiridas pela Hasbro Interactive no final dos anos 1990, a Hasbro liberou os direitos do Jaguar, declarando o console uma plataforma aberta para os desenvolvedores Homebrew. Alguns desenvolvedores, incluindo Telegames e Songbird Production, não lançaram somente o material não finalizado do Atari Jaguar, mas também vários jogos títulos novos para o sistema. O mais recebendo lançamento foi o jogo estilo arcade "Mad Bodies" da Force design em 2 de maio de 2009.

Marketing

O Atari Jaguar foi comercializado com uma estratégia de marketing agressiva. Seu slogan era "Do The Math" (Faça as contas) e os comerciais de televisão atacavam claramente os concorres, enaltecendo o Jaguar como único sistema de 64 bits disponível no mercado, sendo supostamente muito superior aos existentes 16 e 32 bits como Mega Drive e 3DO. Em um comercial de televisão do Jaguar uma professora ensina os alunos sobre video games, quando ela destaca:

" Sega Genesis is 16 bits…" (Mega Drive é um console 16 bits)
" 3DO is 32 bits…" (3DO é um console 32 bits)
" Jaguar is 64 bits!" (Jaguar é um console 64 bits)

Outros comerciais mostravam os poucos jogos de Jaguar, mas sempre destacando a suposta superioridade e o fato do Jaguar ser o único console disponível na época de 64 bits. Houve ainda um anúncio comercial do Jaguar CD, mas foi pouco exibido devido à curta vida do console.

Arcade games

A Atari Games licenciou o chipset do Jaguar para ser usado em jogos para Arcade. Esse sistema chamado COJAG (de "Coin-Op Jaguar"), substituiu o Motorola 68000 com um Motorola 68020 ou MIPS R3000 CPU (dependendo da versão da placa), e adicionou Disco rígido e memória RAM. Ele teve muitos jogos de tiro de pistola como Area 51 e Maximum Force. Outros jogos como 3 On 3 Basketball; Fishin' Frenzy; Freeze e Vicious Circle foram desenvolvidos mas nunca lançados.

Jaguar CD

Ver artigo: Atari Jaguar CD

Jaguar CD foi o periférico que permitia ao Atari Jaguar utilizar CD-ROM como mídia de armazenamento de jogos. Seu lançamento foi muito adiado, mas a Atari compriu sua promessa de uma unidade de CD-ROM para o Jaguar. A unidade foi lançada na metade de 1995 por $149,95. O dispositivo é conectado no Slot de Cartucho, na parte superior do Jaguar, e tinha um tunel de encaixa, evitando desconectar acidentalmente o aparelho. O desenho do Jaguar CD foi algumas vezes comparado ao de um "vaso sanitário". O Jaguar CD também tinha um Slot para conectar os cartuchos do Jaguar, sem remover a unidade de CD-ROM. Ele possuia uma Memory Track (unidade de memória) separada para savar o andamento dos jogos e os escores.
Apresentava tela de abertura diferenciada à do Atari Jaguar, devido ao VLM (Virtual Light Machine) que também apresentava um show de luzes quando um CD de áudio era tocado no Jaguar CD. Estipula-se que menos de 20 mil Jaguar CD foram vendidos, tornando-o hoje um raíssimo ítem de colecionador.

A 5ª geração

3DO Interactive Multiplayer

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

História

3DO Interactive Multiplayer (comumente chamado de 3DO) foi o primeiro videogame doméstico com arquitetura de 32 bits (lançado em 1993). O 3DO consiste em especificações técnicas criadas pela "3DO Company", que é uma sociedade entre 7 diferentes empresas. Estas especificações são de propriedade intelectual da "3DO Company" e são a parte principal para quem quiser desenvolver um console compatível com o 3DO Interactive Multiplayer. As empresas fabricantes licenciavam os direitos autorais da 3DO para fabricar um sistema baseado nas especificações da "3DO Company", e empresas de software, licenciavam o direito de desenvolver softwares (jogos e programas) para os sistemas 3DO.

A analogia mais perto a isso é a do videocassete (VCR). A tecnologia dos videocassetes foi criada pela JVC, e qualquer outra empresa pode fabricar videocassetes desde que pague um pequeno "royalty" para a JVC. A tecnologia do 3DO foi criada pela "3DO Company", e diversas empresas licenciaram os direitos de fabricação de sistemas 3DO baseados nesta tecnologia. A "3DO Company" não fabrica os sistemas 3DO.

Basicamente, o console 3DO consiste em um processador geral RISC modelo ARM60 de 32-bit, parte gráfica baseada em 2 processadores para animação e gráficos. Tem 2 Megabytes de DRAM, 1 Megabyte de VRAM, e um drive de CD-ROM de dupla velocidade. Esta é uma descrição simplificada do console.

Muitas pessoas acham que o 3DO é um produto da Panasonic, mas na verdade, a Panasonic foi a primeira empresa a fabricar e distribuir um 3DO Player, sendo uma licenciada da 3DO Company. O nome do console 3DO da Panasonic era REAL FZ-1, sendo substituído mais tarde por um outro modelo com design diferente, simplificado e mais barato batizado de FZ-10.

As empresas que eram licenciadas da 3DO Company, podendo fabricar qualquer tipo de produto de acordo com as especificações criadas pela própria 3DO Company, eram:

Todo e qualquer produto fabricado baseado nas especificações da 3DO, é compatível com qualquer modelo de qualquer empresa licenciada. Até mesmo jogos lançados no Japão, poderiam ser jogados em consoles americanos, desde que os caracteres japoneses, chamados de Kanji, fossem incluídos no CD (recomendação da 3DO Company). Não há nenhuma lista de jogos japoneses que fossem incompatíveis com consoles não-japoneses (exceto uma versão demo japonesa do jogo "Alone in the Dark").

A Panasonic foi a empresa que mais faturou com o 3DO, pois seu console foi o primeiro a ser lançado, e como era o único console de 32-bit fabricado até aquele momento (os seus principais concorrentes na época eram o Sega Genesis e o Super Nintendo, ambos de 16-bits), conseguiu fazer com que os americanos pagassem aproximadamente 699 dólares por um console FZ-1 na semana de seu lançamento. Porém, com a chegada de concorrentes diretos no mundo dos 32-bits (Sony e Sega), as vendas dos consoles 3DO começaram a cair vertiginosamente. Para tentar reverter esse quadro, a Panasonic lançou o modelo FZ-10, com o drive de CD mecânico (igual aos de CD players portáteis) mais barato e começou a desenvolver um acelerador para o 3DO, chamado de M2. Algumas imagens de jogos foram apresentadas, mostrando que o acelerador poderia esquentar as vendas dos consoles 3DO, porém, esse acelerador nunca foi lançado.

Modelos

Os modelos disponíveis para o 3DO foram:

                                            3DO modelo Goldstar

Goldstar 3DO GDO-101M

Talvez o modelo de 3DO mais barato lançado. O Goldstar 3DO chegou ao mercado americano em 1993 pelo preço de US$399,00 (O R.E.A.L. da Panasonic chegou a custar US$699,00). Incluso no pacote, variaram entre os jogos Fifa Soccer e Shockwave. Foi possível encontrar esse console também no Brasil e Coréia.

Panasonic R.E.A.L. FZ-1

Primeiro modelo da 3DO lançado. Custou na data de lançamento no mercado americano US$ 699,00 e, embora tivesse um elevado preço, teve ótima aceitação e um grande número de vendas.

Panasonic R.E.A.L. FZ-10

Com a queda nas vendas do 3DO a Panasonic decidiu lançar um modelo mais simples e barato na tentativa de aumentar as vendas.

Sanyo TRY IMP 21J

Lançado pela Sanyo em 1994, somente no Japão. Sem sombra de dúvidas, é o modelo de 3DO mais bonito lançado.

Samsung 3DO Player

A Samsung foi a última empresa a projetar um modelo 3DO, porém nunca fora lançado, devido a queda excessiva nas vendas dos modelos das outras marcas.

MENU

Clique nos BOTÕES do Wii Remote

8bits 32 bits home de la para ca o futuro